• foto_mi

    Camilla Sartorato é a responsavel por este blog. É jornalista e reside em Londrina/PR.Atualmente trabalha na Associação de Pais e Amigos de Pessoas com Síndrome de Down (APS DOWN), prestando serviços de Assessoria de Imprensa. Além disso, fez parte da Comissão Organizadora do V Congresso Brasileiro sobre Síndrome de Down, realizado setembro de 2008 em Londrina. Contato: camillasbr@hotmail.com

  • Blog Stats

    • 215,762 acessos

Superstições e mitos fazem parte da memória social

Foto: Roberto Ortega3.JPG

Vovó já dizia que vassoura atrás da porta espanta visitas. Recomenda ter cuidado ao acompanhar um enterro, pois não se deve entrar no cemitério antes do caixão. Nunca tomar banho após as refeições, faz mal à saúde. Passar debaixo de escadas ou quebrar espelho, então, nem pensar! Dá azar. – “Desvira esse chinelo menina!”.

São nas experiências do dia-a-dia, nos sucessos e nos fracassos que se fazem notar o imbatível otimismo do ser humano, em outras palavras, sua vontade de acreditar. Desde tempos remotos os fenômenos da natureza, o respeito pela vida e morte e a não compreensão de determinados eventos naturais e físicos contribuíram para a criação de lendas, mitos e crendices.

Etimologicamente, a palavra superstição vem do latim superstes, que dentre os muitos significados, inclui o de sobreviver. A origem das superstições é incerta, mas existem três principais fatores responsáveis: a religião, o folclore (ou lendas e mitos) e os aspectos culturais de um povo. O primeiro é responsável pelas crendices, manifestadas a partir do temor ao demônio e bruxas, durante a Idade Média.

Para o taroterapeuta, Giancarlo Kind Schimid – responsável pelo site http://www.taroterapia.com.br -, com a imposição religiosa, algumas crenças se misturaram ao paganismo. “Existia o costume de colocar moedas nos olhos dos mortos, antes do sepultamento, particularmente durante a Idade Média e Renascença, era uma forma de sinalizar que para o morto adentrar as regiões crônicas (subterrâneas) era preciso pagar ao barqueiro sua passagem para travessia do venenoso rio Estige”, exemplifica ele em entrevista concedida por e-mail.

Quer garantir muito sol no dia do casamento?Recomenda-se, alguns dias antes, levar ovos a alguma igreja de Santa Clara. É interessante evitar casar em janeiro, para não ter problemas econômicos ao longo da vida juntos. Certifique-se de que os convidados jogarão arroz na saída da igreja, para dar sorte. Não use pérolas no casamento, dizem que elas trazem má-sorte para os noivos. E por favor, jamais deixe que o noivo veja a noiva com o vestido antes da cerimônia.

Assim como é muito mais seguro recorrer às previsões meteorológicas oficiais, do que arriscar um palpite, antigamente, também, as profecias eram deixadas por conta de pessoas as quais se supunha dotadas de conhecimentos especiais. Segue-se daí uma quantidade enorme de superstições conhecidas, que podem ser passadas de pai para filho até hoje.

“Onde há fumaça, pode haver fogo”, é assim que define o supersticioso administrador Mauro Ramos, quando questionado pela permanência de muitas superstições até hoje. “O propósito dos ensinamentos, é apenas para servir de alerta em algumas situações. Acho que essa tradição oral não tende a acabar, pois a grande maioria da população acredita e passa uns aos outros”, avalia Ramos.

Entre os jovens, esses tabus, crendices e supertições não são tão incorporados como antigamente. “Minha avó falava dessas supertições para mim, mas não acredito. Sou católica e minha religião diz que supertições, signos, etc, não são reais e não influenciam em nada. Além do mais, meus pais sempre me falaram que supertições são besteiras”, conta a estudante de agronomia, Márcia Gabrielly Fantin, 19 anos.

A superstições tradicionais, ou seja, as mais conhecidas e profetizadas há tempo, não estão diretamente associadas ao cotidiano das novas gerações tanto quanto antes. Para César Augusto Pifer Makiolke, 18 anos, estudante de jornalismo, a sociedade se encontra “impregnada” destas crendices. “Não sou ligado em coisas muito supersticiosas, não acredito nem em horóscopo. Acho que na realidade tudo acaba tornando-se uma brincadeira. Existe quem tenha até medo, usa arruda ou pé de coelho, mas eu acho bobagem”, diz ele.

Moça que varre bem a casa casará com homem bonito. Fique esperto! Se a mão esquerda coçar é sinal de boas novas. Se for a direita, é sinal que receberá presente. Soluço? Tome água em que se pôs uma faca. Aliás, tropeçar com o pé direito é prenúncio de alegria.

Por outro lado, não é difícil encontrar pessoas que já tenham usado um amuleto – ao menos uma figa -, tenham o hábito de bater na madeira para melhor “isolar” acontecimentos futuros, ouvido dizer que comer semente de goiaba dá nó nas tripas (apendicite), ou que resistam a mistificação da sexta-feira 13. A controvérsia à estes novos ideais, ocorre quando analisamos a lenda, o mito e a saga, não apenas como um relato de um determinado tempo histórico, e sim como recursos capazes de oferecer na sua própria natureza, a possibilidade de falar da experiência humana.

“Alguns crenças se estabeleceram de tal forma, que deram origem a personagens fictícios como os vampiros (que não suportam água benta, a cruz santa, alho, a luz do sol e a Bíblia), conta Schimid.“Tem, também, o lobisomem (que se transforma na Lua Cheia, só é morto com balas de pratas, e é fruto do sétimo filho varão de uma família só de homens)”, completa ele.


Pode parecer estranho, mas há quem acredite que cruzar com gato preto traz má sorte. Até mesmo que olhar no espelho de alguém que morreu, ou abrir os braços em cruz, na porta atrai a morte. E cuidado! Defunto que demora a enrijecer vem buscar outra pessoa da família, brevemente.

Alguns desses mitos populares podem indiretamente conter aspectos verdadeiros, como tomar banho após as refeições, ação comumente conhecida como congestão. Segundo a medicina o corpo precisa metabolicamente de tempo para digerir o alimento e tomando banho, você desvia a pressão sanguínea para outros pontos do corpo, e o aparelho digestivo é prejudicado. Outro exemplo é sair de peito aberto durante uma tempestade elétrica. A ciência já provou que a eletricidade procura se conduzir pelo ponto mais alto num descampado.

As superstições fazem parte de muitos atos da vida do homem e variam de lugar pra lugar, cultura para cultura. Em sua maioria, servem para intimidar ou alertar. Uma forma de manter as crianças sob controle ou fazer com que o povo aprofunde sua fé, “Muitas dessas crenças se estabeleceram particularmente nos primeiros 1500 anos de nossa era e as mantemos até hoje, passadas de geração para geração”, diz Schimid. Essa tradição oral, transmitida até os dias hoje, atua como meio de preservação de histórias e contribuem para memória social e coletiva. “Toda manifestação simbólica tem seu valor e não deve deliberadamente ser extinta ou anulada”, completa ele.

About these ads

15 Respostas

  1. Adoro seus artigos! Esse, em especial, ficou estupendo!

    Parabéns, e parece que quando me formar vou ter competição “da brava”! Rs

    Abraços, André

  2. Gostei! Parabéns pelo texto. Gostei do seu ponto de vista, das explicações, exemplos.

  3. Gostaria de saber dizem quando o olho direito treme é coisa ruim que vai acontecer? Precisava saber.

  4. MUITO LEGAL!!!

  5. husahusahusa legal

  6. Muito legal!é o que eu estava procurando…Show!Amei♥

  7. ee eu so queria saber MITOS E CRENDICESDA CIENCIA

    • olha só;
      a raça humana nos dias de hoje deixaram os preceitos de DEUS para acreditarem nessas falsas filosofias que não têm nenhuma doutrina a respeito da salvação em Cristo.
      além das superstições não terem origem bíblica não passam de meras crenças absurdas, nos temos que crer na bíblia em DEUS, em não nessas banalidades que vem do inferno para escravizar nossas vidas nessa grande fantasia, digo isso com todos os direitos de um cidadão cristão salvo parem de crer nessa invencionice humana; e vamos crer na bíblia e em DEUS!!!

      obrigado pela atenção! DEUS TE ABENÇÔE!

  8. olho direiro tremento,
    o que significa.

  9. Muiito boom me ajudoou no meeu trabalho!

  10. dizem que se o olho direito treme,é porque coisa boa ñ vem e se o olho esquerdo treme e porque e coisa boa e verdade isso

  11. Penso que algumas supertiçoes são reais.parabéns

  12. cara eu nao sei não, mais meu olho esquerdo tava tremendo a dias e hj sab o q aconteceu quebrou o pau aki em ksa, por isso mito ou não to com uma raiva tão grande q to ate agora o pc pq não consigo dormir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.